Betta não morreu!

Hoje a ideia da morte invadiu meus pensamentos.
Sábado tive a notícia que um colega já idoso muito querido por todos morreu.
Domingo a noite meu marido percebeu que o peixe Betta de Ingrid morreu. Betta morava sozinho em seu aquário. Essa raça é extremamente agressiva e gosta de brigar. Morava num aquário pequeno, sem equipamentos para oxigenação, sem adornos, plantas ou pedrinhas. Na verdade, esse não foi nosso primeiro Beta. Já perdi a conta, acho que é o 3º ou 4º, dizem que vivem até 5 anos, mas os nossos não vivem mais que um...
Na cozinha eu, minha mãe e o pai de Ingrid discutíamos: devíamos contar para ela que o peixinho dela morreu? Voto a favor (o meu) e 2 contra, eu tinha que comprar um peixe na hora do almoço para por no lugar de Betta. O problema é que gente nem sempre acha um da mesma cor do falecido, então para Ingrid esse é um peixe camaleão que vive mudando de cor, as vezes vermelho, as vezes azul... Para mim a idéia de dar um bichinho para uma criança é justamente para explicar a morte, prepará-la (se é que existe sentido nisso) para a morte dos entes queridos, mas com que idade a gente deve falar de morte para uma criança? Minha mãe acha que com 5 ou 6 anos... Ora, com 4 anos, um peixe, um gato ou um cão não podem ser de responsabilidade da criança. Ingrid não pode limpar o aquário, nem dar comida, se deixar ela dar comida ela põem flocos demais Betta fica obeso e morre! Realmente, acho que podia falar de uma forma lúdica sobre a morte de Betta dizer que o céu dos Peixes tem um papai do céu chamado Netuno e que lá Betta iria encontrar toda a família dele e fazer uma analogia com que acontece também com os seres humanos. Mas, voto vencido, sai a procura de um Betta novo, dessa vez azul (incrível o fato de nunca acertarmos a cor). No meio do corre-corre do almoço ainda tinha que comparar 1 lata de sardinha para doar para o sorteio de São João da escolinha e tirara folhas de cheque. Como  lei de Murphy diz que se algo pode dar errado, dará não consegui resolver tudo isso num mesmo lugar, sai do Shopping onde comprei Betta e a sardinha e fui para uma agência próxima que tinha máquina de imprimir cheque.
Mas, nesse dia de trabalho estávamos todos consternados. Nosso colega que já havia entrado de licença médica mas sua morte foi uma surpresa. Era gordo, fez bariátrica emagreceu. Conta a lenda que chegava cedo trocava de roupa e ia correr, no outro dia a mesma coisa... com a mesma roupa que ele guardava suja na laje do prédio, ninguém usava a bucha de prato pois delitos asquerosos eram imputados a ele (e me parece que era verdade). Não sei da qualidade do trabalho dele, mas aqueles que conhecia diziam que ele era trabalhador. Para mim ficou esse lado meio lendário que eu não sei onde começa a lenda e onde começa a verdade. Todavia, o que me chamou a atenção foram as demonstrações de afeto póstumas no facebook. Me pergunto: tem facebook no céu? Aquele que rende homenagens póstumas nesse tipo de mídia quer o que com isso? Isso é em benefício para quem morreu ou para quem escreve? Isso lhe isenta de ter maltratado aquela pessoa em vida, ou de não ter ido no enterro dela? Palavras são mais importantes que gestos?
Vi o pequeno corpinho de Betta imóvel na mão do meu marido: e pensei: essa lição eu já aprendi.

ANTES QUE AS FLORES MURCHEM
Se quer me dar uma flor,
que me dê agora.
Se quer me dar um sorriso,
que me dê agora.

Não guarde suas lindas flores,
Para colocar sobre o meu túmulo
quando eu partir.
Seu riso não se transforme em lágrimas
ao invés de sorrir.

Se que me beijar,
que me beije agora.
Se que me amar,
que me ame agora.

Não deixe que as flores murchem
seu beijo se cale
seu riso entristeça
seu amor se perca

quando eu for embora

Aracaju - É show!

Saímos quase as 9:00hs de Salvador, demos uma parada na Estrada do Cocô e outra em Massarandupió. Chegamos umas 14hs em Aracaju.

1º Dia - Noite - Feira do turista
Trata-se de um prédio comercial apesar do nome feira. Possui uma loja de conveniências, vários restaurantes de comida regional com música ao vivo. Mas, quase sempre forró. Várias lojas que personalizam azulejo com foto (leve seu pen drive com as fotos), algumas lojas com "artesanato", umas 3 lojas de roupa de dormir (malha fia etc por R$20,00), uma loja de produtos nordestinos (mel, cachaça, castanha etc)... Sempre que vou a Aracaju passo por lá, mas o melhor para artesanato e produtos regionais é o Mercado Central também conhecido como Mercado Municipal, é perto da Ponte do Imperador e do Museu da Gente Sergipana. Lanchamos no Muqueca e Cia localizado dentro da Feira do Turista. A tal batida de cocô deixa a desejar, eles usam a água do cocô mas não usam a carne, eles usam o cocô ralado industrializado. Fica esquisito. Gostei muito dos bolinhos de bacalhau. Não tem estacionamento próprio, o que vale a pena é a música ao vivo e eles não cobram couvert artístico.


2º Dia - Praia do Saco

Na ida até praia do Saco você pode comparar 2 litros de água de cocô natural por R$10,00. É bom levar, as coisas lá são carinhas. Fomos 1º na Lagoa dos Tambaquis, muito próxima a Praia do Saco. A seca foi tão grande que a água evaporou e os peixes estavam morrendo... uma tristeza, vamos orar por chuva! O dono do local que também é uma pousada nos constou a situação e nem chegamos a descer do carro. Mas, procure se informar quando for pois é um passeio muito recomendado principalmente para quem vai com crianças.
As praias de Aracaju possuem faixas de areia extensa, as vezes mais de um 1km até você chegar ao mar, as águas são escuras e possuem ondas. A praia do saco é totalmente ao contrário: sem onda, o mar pertinho da barraca. Lá te oferecem vários passeios de lancha inclusive para Mangue Seco que é do lado. Aviso: os preços da alimentação e bebidas são um pouco mais a cima do que nos outros locais. O custo do estacionamento para passar o dia é R$10,00. 


Jantamos a noite no Ponto da Picanha em Atalaia. A comida não é super deliciosa, mas é boa, o churrasco misto de filé, duas H2O, dois sorvetes nestlé saem a R$104,00. O que eu destaco: o banheiro tem vaso infantil, possuem uma brinquedoteca interna e um parquinho infantil externo, estacionamento próximo e amplo, um serviço de carregar celular na mesa free. Tenho intenção de voltar pois, a noite servem um café nordestino por menos de R$50,00 que pelo que vi serve fartamente 3 pessoas com cuzcuz, aipim e carne de sol.




3º Dia - Com Amor Beach House
Rodovia Pres. Jose Sarney, Aracaju, Sergipe, Brasil
Essa barraca fica afastada, mas possui uma grande infraestrutura, achei melhor do que as de Porto Seguro que são as mais badaladas do Brasil. Possuem piscinas infantis que são uma ótima opção visto que a faixa de área é muito extensa e a andada na área quente é difícil para os pequenos, além disso o mar de Aracaju não é calmo, possui umas ondinhas que dificulta a vida dos pequenos. Não achei cara, a moqueca tava mais barata que na Praia do Saco e achei o preço do Camarão à Grega bastante razoável. Comprei as batatinhas no Davi que fica em frente a Com Amos, a porção é o mesmo preço mas é mais generosa e você não paga os 10%. Espero que eles reformem o parquinho que já teve há algum tempo atrás.
Guid no escorrega


Mundo Maravilhoso da Criança
Fica na orla de Atalaia. Opções pagas e gratuitas não faltam para a alegria da meninada. Possui brinquedos fixos, achei as escorregadeiras um tanto inseguras e altura de alguns brinquedos exagerada. Optei pelos brinquedos pagos que só estão disponíveis nos feriados e nos fins de semana. Fui a noite, a área é desprovida de proteção e bate sol o dia todo acho que só vale a pena ir a partir das 16. Há também passeio em poneys de verdade, kart e carrinhos.


4º Dia
Para descansar a pele resolvemos dar um tempo de praia kkk e ir no zoo e no Museu. Mas, não adiantou nada a gente pega muito sol no teleférico e no Zoo, leve água e protetor solar na mochila.


Parque da Cidade e teleférico e mini zoo
Instalado em uma reserva de mata atlântica, o Parque da Cidade de Aracaju funciona como mini zoológico e conta com um teleférico, mas ainda falta melhorias turísticas e divulgação. O lugar é lindo. Você pode ir no Museu da Gente Sergipana antes ou depois desse passeio, pois são próximos. O Teleférico é a principal atração do Parque, que ainda conta com um mini zoológico. O passeio custa R$16,00 por pessoa (estudantes e acima de 60 anos pagam R$8,00) e liga a parte mais baixa do parque à parte mais alta, de onde se tem uma linda vista panorâmica da cidade.Terça 9h30 às 16h – Quarta à Sexta 9h30 às 17h. Sábado e Domingo das 8h30 às 18h30. Tem uma parada onde tem uma santa, vale a pena descer por uma pequena trilha e apreciar a vista.
O mini zoo tem bastante aves, papagaios, araras, réptil só cagado, jacaré e duas espécies de cobras, tem um leão, capivara, etc.. está em melhor estado do que o de Salvadore as crianças curtem e como é perto do Teleférico compensa estender o passeio até o zoo, leve água e merenda porque dentro do zoo não tem lanchonete, a entrada é grátis.
Horário:  8:30–16:58, não funciona as SEGUNDAS
Telefone: (79) 3205-1305

Museu da Gente Sergipana
O Museu da Gente Sergipana é um museu localizado na cidade de Aracaju, Sergipe. Inaugurado em 26 de novembro de 2011, o acervo foi instalado no antigo prédio do Atheneuzinho, que foi totalmente restaurado. Um museu super diferente, interativo em todos os detalhes. 
Um vendedor virtual que tira onda, cordel, a possibilidade de você criar seu próprio repente, uma amarelinha musical, as histórias dos cabras da região, roupas flocloricas regionais, um passeio pelos biomas locais. Tudo isso grátis e com estacionamento também grátis. Então você tem que vir correndo. Tem uma lanchonete muito legal que fomos de outra vez
Endereço: Av. Ivo do Prado, 398 - Centro, Aracaju - SE, 

DIAS E HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO: - De Terça a Sexta - das 10h às 16h
- Sábado, Domingo e Feriado - das 10h às 15h não funciona as SEGUNDAS
NÃO FUNCIONAR TERÇA-FEIRA DE CARNAVAL
Amarelinha musical
Almoçamos no Mangará na Av. Beira Mar. Gostei de tudo! fomos duas vezes uma vez para almoçar no domingo e outra para jantar na segunda em pleno carnaval, havia muita gente mas o atendimento não deixou a desejar. A comida é a quilo, o ambiente é rústico mas ricamente decorado. Meio dia você encontra porco assado, lombo, feijoada, escondidinho, samão, camarão entre outros e a noite sopas, escondidinhos, comidas típicas, raízes, bolos, cuscuz, pão na chapa com manteiga, beiju e ovo feitos na hora... Além de inúmeras sobremesas. Não tem climatização, faz um pouco de calor a pesar dos ventiladores, mas tem espaço kids. Os garçons ficam vestidos de cangaceiro e para chama-los tem um chocalho na mesa igual ao que as vacas usam rss. Pega-se uma fila no caixa para pagar a conta mas não cobram 10%.


5º Dia - Hotel fazendo Boa Luz
Fui em 2014 e retornei em 2017 pensando que melhorou. Pura decepção. Fui 27/02 na segunda de Carnaval no sistema day-use, estacionamos e do estacionamento até o Parque aquático são mais de 1km andando, sem acessibilidade para portador de necessidade especial ou que está com criança pequena. E a charrete para levar custa R$10,00! Mais caro do que ônibus, metrô - um abuso. Ainda por cima o local continua com a aparência de abandono, os banheiros estavam sem limpeza, vestiários com chuveiro quebrado, mesmo após 8 meses de administração de Marlene Mattos. Dizem para não levarmos comida e bebidas, mas querem nos matar de fome. Fiquei 1:20 minutos esperando uma mini pizza e um filé com batatinha num quiosque perto das piscinas infantis, e para meus espanto recebi o filé com fritas mas minha pizza foi dada a um outro cliente. SIM! Depois que fiz um barraco dizendo que a atendente serviu umas 5 mini pizzas que estavam atrás de mim e não me deu satisfação quanto a minha a gerente veio se desculpar dizendo que o número de clientes excedeu a capacidade de atendimento dela! Deu o filé e o refrigerante dobrado para nós, mandou a atendente vir pedir desculpas e a mesma sem noção se desculpou dizendo que o homem atrás de mim na fila estava fazendo muito enxame e passou meu pedido para ele! Pode? Minha filha até aquela hora sem comer e ela preferiu passar para um cara que fazia enxame: preconceito por eu ser mulher e privilégio daquele que grita mais alto! Não tinha nem mesa nem cadeiras suficientes para todos, eles deviam trabalhar com limite de lotação, mas não fazem controle na entrada. Além disso vários brinquedos sem salva vidas. As piscinas e o paintball são até legais, mas se você for leve sua farofa e seu coller! Ninguém merece passar fome e ser muito mal atendido a ponto de perder um dia de seu feriado.

Endereço: BR-235, s/n, Laranjeiras - SE, 49170-000
Telefone: (79) 3281-4848
Parque aquático: 09:00h | Fechamento: 16:30h. Aberto Sexta-feira, sábado, domingo e feriados.
VALORES DE TERÇA A SÁBADO - Adulto R$ 29,90 -Criança - de 0 a 5 anos não pagam
DOMINGOS E FERIADOS - Adulto - R$ 39,90 - Crianças de 0 a 5 não pagam.

6º Dia - Bobeira kkk.
Nada de Coroa do Goré, Parque dos Falcões ou Caniosn do Xingó... estvámos muito cansados. Ficamos na cidade, fizemos uma viagem de balde até o Mercado Central porque terça feira de cannaval não fica aberto. De lá fomos para a Orla ver o Oceanário.
O oceanário é de fácil acesso, bem visível em Atalaia. Fui em novembro ver as tartarugas do Tamar em Praia do Forte e acho que o local em Aracaju é melhor. Primeiro porque tem uma boa cobertura e não ficamos tão expostos ao sol como na Bahia. Possui dois tanques com espécies de tartarugas marinhas e um tanque com tubarões. Os tratadores contam histórias sobre cada uma delas e é de partir o coração, uma teve a nadadeira cortada e a outra a carapaça deformada por um pneu de carro reduzindo sua capacidade respiratória. A foto montagem em praia do forte era R$25,00 e lá R$20,00, leve um pendrive para pegar o arquivo, pois eles vendem um cd com a foto por R$5,00. A lojinha é fraquíssima, poucas opções em relação a de Praia do Forte. Também o espaço kids de Aracaju deixa a desejar. Mas, quando lembro que tudo isso tá em Atalaia, bem pertinho de tudo e Praia de Forte no meio do nada, vale mais a pena ir passar um feriado em Aracaju e ver o oceanário do que ir em Praia do Forte cuja a praia é horrível, hospedagem e comida cara. Tinham 2 aquários vazios, não sei se isso é normal ou se estavam em manutenção. As 16hs é a hora da alimentação, talvez seja o melhor horário para visitar, antes de ir ligue porque tem uma atração chamada Submarino Amarelo para ver os peixes de água profunda que tem horário marcado e um valor diferenciado.

Almoçamos na Churrascaria Gralha Azul que possui massas feitas na hora, sushi, excelente banheiro com trocador de fraldas. Churrasco gostoso com pouco sal, amei o pão de alho. Não tem pratos com camarão, nem espeto de abacaxi e nem o queijo coalho. Em feriados fica por R$52,00 e não tem espaço kids. As sobremesas variam de R$9,00 a R$12,00. Fomos para o kitnet que alugamos cochilamos com o ar em 17º que não dava conta de tanto calor, Aracaju tava com sensação térmica de uns 40°. A noite fomos comer tapioca na orla em frente a Feira do Turista na Tapioca do Cangaço. O beiju de tapioca é uma comida tipicamente nordestina, é feito com fécula de batata. Normalmente o beiju é recheado apenas com manteiga ou cocô, eu tenho preferencia por queijo coalho com cocô mas há inúmeras opções, meu marido optou por sardinha!!!

Voltamos na quarta-feira de cinzas com gostinho de quero mais... quem sabe Semana Santa?


Repeteco: #partiusuldabahia

Todo ano nos perguntamos: onde ir nas férias? Para meu marido a resposta é muito simples - Sul da Bahia. Antes de nos conhecer ela já tinha ido várias vezes e essa foi nossa 3ª vez juntos. A viagem de carro para mim é cansativa, mas ele é que vai dirigindo e costuma não reclamar.

Como ele é o motorista ele decide o percurso. Dessa vez fomos de Ferry até a ilha e optamos voltar pela estrada, visto que ficamos na fila do ferry na volta por mais de quatro horas. Dessa vez, gastamos pelo menos 2hs na fila do ferry na ida, não sei se foi a melhor opção, porque além de ser caro é muito demorado.

Viajamos no dia 26/12 e voltamos no dia 05/01/2017. Vou contar como foi sem uma ordem cronológica. Certo?

Nos hospedamos na pousada Encontro das Águas, estive em janeiro/2016 e retornei em dezembro/2016. Continuo vendo vantagens em ficar lá, não preciso tirar o carro do estacionamento para ir a Praia da Concha, boa relação custo-benefício, café da manhã além do básico e muito gostoso, wifi, estacionamento. Os banheiros estão sendo reformados. O problema é que D. Augusta está querendo arrendar a propriedade e não sabemos se o novo anfitrião será tão dedicado quanto ela

Praia da Concha é a que mais tem estrutura, restaurantes, barzinhos, ficamos numa barraca que tinha mesinha para as crianças desenharem e até um pula-pula. Comíamos uma isca de peixe com batata frita nas barracas e íamos jantar no Flor do Cacau - Este restaurante fica na rua do comércio, bem fácil de achar, em frente ao lugar onde os hippies ficam vendendo artesanato. Um lugar muito simples e com uma certa demora no atendimento. Mas, a comida é top. Pedimos uma moqueca de camarão, a porção serve 3. Os acompanhamentos sobram demais, são eles salada, farofa de banana, arroz e feijão. Tem coca de 1 litro por 6 reais. Com o peito de frango que pedi para minha filha tudo deu 75 reais. Ficamos super satisfeitos! Excelente custo-benefício. Não cobra 10% Melhor custo-benefício.

Roman conseguiu pescar
Não fui até a Igreja São Miguel Arcanjo e sim a sua praça. O local tem a vista para os barcos ancorados. Tem um restaurante com pratos individuais por 20 reais que chama o Rei do Galeto, a noite nesse período armam vários pula-pula, castelinhos infláveis e alugam carrinhos para crianças. A pessoa pode comer um beijú com refri por menos de R$10,00. É também o local onde ocorre a passagem de ano, com trio elétrico e queima de fogos, nós passamos a virada na piraia da concha em frente a pousada.

Ribeira
Essa é a segunda vez que fui lá. A vegetação densa de mata Atlântica me lembra a abertura da mini série A Muralha, nada dos coqueiros que estamos acostumados. O mar é agitado, mas considero o lugar bom para levar crianças por causa do riozinho, é só se instalar em baixo das amendoeiras. Os preços são melhores que em Taipus de Fora, Concha e Itacarezinho. Tem estacionamento mas muito desorganizado, tem que chegar cedo para pegar uma vaga e é uma onda para conseguir sair. Tem tiroleza e circuito de arvorismo, mas os dias e horários de funcionamento são incertos.


Península de Maraú
Saímos de lá quase 9hs, é mais ou menos  uma hora e quarenta de viagem. Fui em maré baixa e na lua certa. Mas, as piscinas naturais nem chegam aos pés de Porto de Galinhas. Talvez com o material de mergulho e saindo da beira se encontre uma fauna marinha maus rica. Vi o video que um casal do grupo fez no mergulho e eles só viram umas cobrinhas. Mas, vale a aventura saímos de Itacaré de land rover. Compramos na Tropical o passeio com DJ Boi por R$150 casal. Muito melhor do que detonar nosso carro. São 60km de Itacaré e mais da metade em estrada de chão. O passeio inclui visitação as bromélias gigantes, banho na lagoa azul e a praia de Taipus.


Só tem uma única barraca caríssima, mas com chuveiro e banheiro. Você tem que consumir R$100,00 na parte de cima ou R$150,00 na parte de baixo para usufruir da infra. Vale a pena levar uma sacola térmica com merendas e bebidas e dividir a mesa com alguém. Alguns falam em se hospedar em Taipus, não tem infra (farmácia, médico etc...), para quem tem criança pequena é melhor ir lá estando hospedado em Camamu, Itacaré ou Barra Grande. O guia disse que a lagoa Cassange estava vazia, e por isso na tarde fomos ver as Bromélias Gigantes e tomamos banho na Lagoa Azul
 





Cachoeira de Tijuípe:
Tudo o que é bom tem um preço, por tanto paga-se para entrar. Fica a 20km de Itacaré sentido Ilheus. Na verdade podemos curtir 2 cachoeiras a Tijuipe e andando uns 400m a Cachoeirinha. Não se pode entrar com isopor. Mas, muita gente leva merenda e até cerveja. Tem um orquidário e um restaurante bem bonito que não utilizei. Realmente a ida é fácil até porque é uma descida mas a volta é ladeira a cima, mas se minha filha de 3 anos subiu qualquer um com saúde sobe.
Eu lá no fundo de braços abertos
Arraial d'Ajuda

Arraial d’Ajuda é o maior e o mais famoso distrito de Porto Seguro. Arraial d’Ajuda cresceu e tomou ares cosmopolitas. Hoje, é uma vila super charmosa e diversificada. A cada esquina um estilo diferente, rústico, moderno, esotérico, romântico, chique, charmoso, e colorido! Basicamente, a vila se resume a 2 ruas principais: Bróduei e Mucugê!
Mucugê tem uma infinidade de restaurantes de todos os tipos, lojas de lembranças, moda praia etc. Recomendo tomar um sorvete no Coelhinho os sabores são únicos e a textura é Divina procure saber onde é a pracinha que tem a Chocolate Show, nesse lugar tem os caixas 24hs e um lugar para as crianças menores se divertirem.Claro que é movimentada e tem muito turista, alguém esperava achar algum indio nativo?? Rsss. Imperdível.

Ficamos na Pousada Tubarão que fica atrás da Bróduei. Lá existem várias lojinhas coloridas que vendem artesanatos locais e é, também, o local que dá acesso à praça onde fica a igreja de Nossa Senhora d’Ajuda, construída em 1549. Tiramos a tradicional foto atrás da igrejinha, que tem um mirante incrível com uma vista panorâmica das praias!!!
A pousada fica super bem localizada atrás da Bróduei, os quartos são simples mas espaçosos, o banheiro também. O café da manhã é muito básico, a piscina é ótima e no meio das árvore muito gostoso o ambiente. Você deixa o carro estacionado, vai a pé até o Valentino, a Igrejinha e Mucujê. Lhe dão o freezer vazio e você põem o que quiser. O wifi não pega nos quartos e sim no lobby. Tenho intenção de retornar em outra oportunidade

Jantamos na Churrascaria Caribé lá na Rua do Mucugê. O Local serve o bobó de camarão para dois por R$59,99, o camarão parece aqueles congelados da Netuno. São pequenos e sem sabor nenhum – simplesmente horrível. Pena que não tem esse restaurante no trip advisor se não eu iria detonar eles.

Em outra noite jantamos no Boiteko e comemos picanha grelhada com fritas, e pedi 100 gramas de frango grelhado para minha filha. As porções são pequenas porém tudo gostoso e com excelente atendimento. Tem uma pequena área com ar condicionado e nesse local há um espaço kids com brinquedos papel e lápis, apesar da simplicidade já quebra um galho para os pais. O que achei ruim foi o banheiro que é do lado de fora e atende ao restaurante e a sorveteria deles, muito pequeno e sujo.

Também a pé fomos comer no Valentino - o prato chefe da casa é a lagosta, por menos de 100 reais o prato, pois é o próprio dono que pesca. Pedimos a pizza, que com refrigerante saiu por uns R$55,00 reais. O grande problema é que eles não aceitam cartões de crédito ou débito. A vista do sol se por é linda. O lugar tem uma decoração rústica, mas é um pouco decadente com fiação e pregos a mostra. Muitos reclamam do banheiro do lugar. Como a pousada Tubarão era em ferente e eu estava hospedada lá, não precisei ir no banheiro. Só funciona a noite.

Eco park:

Já tinha ido antes e dessa vez fui 2 dias. Quando você vai tem a opção de em uma semana ir de novo pagando bem mais barato. Eles não revistam, então vale a pena levar lanchinhos. Decidimos tomar banho lá e aproveitarmos a noite de Arraial, apesar de ter vestiário o empreendimento não disponibiliza chuveiros dentro do banheiro/ vestiários, apenas na área externa. O ingresso de retorno pode ser utilizado em até 07 dias depois de adquirido, no ato da compra a pulseira retorno é lacrada no braço do cliente e o rompimento da pulseira retorno invalida a entrada no parque.

ADULTO
R$ 120,00
CRIANÇA de 1,0 m a 1,3 m
R$ 70,00
Horário de Funcionamento: 10:00 às 17:00hs




Praia Pitinga
Vamos com calma. É linda, é! Com mar calmo, paisagem exuberante com um misto de mata atlântica e falezias. Mas... todas as barracas cobram consumo mínimo e os preços são exorbitantes e a qualidade da comida deixa a desejar. Se não quiser andar desça no último acesso a praia e pague 20 reais. Nós andamos mas não pagamos estacionamento, estacionamos...